AULA 1 – EDUCAÇÃO INCLUSIVA, MAIS QUE UM CONCEITO

PALAVRAS DO PROFESSOR

 

FACE
Prof. Emílio Figueira, diretor-fundador do Centro De Apoio Aos Professores Com Alunos Inclusivos – CAPAI

Olá, seja bem-vindo!

Nesta primeira aula mostrarei, por meio de um vídeo, a história das pessoas com deficiência desde o Descobrimento do Brasil até chegar aos tempos da Educação Inclusiva.

Depois veremos o conceito inclusivo no âmbito legislativo e pedagógico.

No estilo perguntas e respostas, farei uma discussão ampla sobre a realidade atual da Educação Inclusiva e os conceitos básicos de Lev Vygotsky, que nos dão boas bases de trabalho.

Se você desejar, deixe comentários ou dúvidas abaixo, enriquecendo o nosso relacionamento.

Desejo a você uma boa aula e um bom aproveitamento do conteúdo!

Prof. Emílio Figueira

 

 

A HISTÓRIA DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO BRASIL

 

Historicamente, pessoas com deficiência ficaram por muito tempo escondidas do convívio social até que, algumas décadas atrás, nasceu o conceito de integração social. Surgiram, por exemplo, entidades, clubes sociais especiais, associações desportivas e centros de reabilitação dedicados a elas. A intenção principal da integração social era preparar essas pessoas para ingressarem e conviverem em sociedade como todos nós.

Nos anos 1990, um novo conceito ganhou forças: a inclusão escolar e social. Antes, essas pessoas eram habilitadas ou reabilitadas para fazer todas as coisas que as demais por meio da integração social e passavam a conviver conosco em sociedade. Agora, na inclusão escolar e social, as iniciativas são nossas. Somos nós que estamos nos preparando, criando caminhos e permitindo que elas venham conviver conosco.

Por ste motivo, cada vez mais vemos crianças e pessoas com deficiência em nossas escolas, nos espaços de lazeres e em todos os lugares da vida diária. Devemos estar preparados para essa convivência, aceitando as diferenças e a individualidade de cada pessoa, uma vez que o conceito de inclusão mantém este lema: Todas as pessoas têm o mesmo valor.

 

DEFININDO EDUCAÇÃO INCLUSIVA

colab__640

A) Educação Inclusiva no âmbito das Legislações:

Como resultado da Conferência Mundial sobre Necessidades Educacionais Especiais, realizada entre 7 e 10 de junho de 1994, na cidade espanhola de Salamanca, a Declaração de Salamanca trata de princípios, políticas e práticas na área da Educação Inclusiva, proclamando:

  • toda criança tem direito fundamental à educação, e deve ser dada a oportunidade de atingir e manter o nível adequado de aprendizagem,
  • toda criança possui características, interesses, habilidades e necessidades de aprendizagem que são únicas,
  • sistemas educacionais deveriam ser designados e programas educacionais deveriam ser implementados no sentido de se levar em conta a vasta diversidade de tais características e necessidades,
    aqueles com necessidades educacionais especiais devem ter acesso à escola regular, que deveria acomodá-los dentro de uma Pedagogia centrada na criança, capaz de satisfazer a tais necessidades,
  • escolas regulares que possuam tal orientação inclusiva constituem os meios mais eficazes de combater atitudes discriminatórias criando-se comunidades acolhedoras, construindo uma sociedade inclusiva e alcançando educação para todos; além disso, tais escolas provêm uma educação efetiva à maioria das crianças e aprimoram a eficiência e, em última instância, o custo da eficácia de todo o sistema educacional.

Na introdução, a Declaração aborda os Direitos humanos e a Declaração Mundial sobre a Educação para Todos e aponta os princípios de uma educação especial e uma pedagogia centrada na criança. Em seguida apresenta propostas, direções e recomendações da Estrutura de Ação em Educação Especial, um novo pensar em educação especial, com orientações para ações em nível nacional e em níveis regionais e internacionais.

Pode-se dizer que o conjunto de recomendações e propostas da Declaração de Salamanca, é guiado pelos seguintes princípios:

Independente das diferenças individuais, a educação é direito de todos;

Toda criança que possui dificuldade de aprendizagem pode ser considerada com necessidades educativas especiais;

A escola deve adaptar–se às especificidades dos alunos, e não os alunos as especificidades da escola.

O ensino deve ser diversificado e realizado num espaço comum a todas as crianças.

A Conferência Mundial sobre Necessidades Educacionais Especiais foi promovida pelo governo espanhol em colaboração com a Unesco. A Declaração de Salamanca repercutiu de forma significativa, sendo incorporada as políticas educacionais brasileiras.

Em termos de Brasil, o conceito de Educação Para Todos, estabelecido pela Constituição Federal do Brasil, foi reafirmado pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional-LDBEN, Lei n. 9.394/96, que destina a capítulo V à Educação Especial. O art. 58 da LDBEN define que a educação dos alunos com necessidades educacionais especiais deve ser realizada, preferencialmente, na rede regular de ensino.

B) Educação Inclusiva no âmbito pedagógico

A proposta pedagógica na Educação Inclusiva tem como referencial teórico o Socioconstrutivismo, cujo pressuposto básico é que o processo de ensino-aprendizagem concretiza-se em situações de interação entre o aluno, educadores e colegas e os diversos objetos de conhecimento, assegurando-se, assim, a construção de significados, a partir do estabelecimento de relações entre o que eles estão aprendendo de novo e o que já conhecem (conhecimentos prévios).

A construção desse conhecimento é concebida por nós numa perspectiva sócio-histórica, porque reconhecemos que os conteúdos que a escola veicula (fatos, conceitos, princípios, valores, normas, atitudes e procedimentos) são criações culturais anteriores e/ou simultâneas ao processo escolar e potencializadas por ele.

 

ESTAMOS INDO ALÉM DOS CONCEITOS?

 

2400173_orig

Bem, para entendemos melhor tudo isto, eu vou reproduzir nesta primeira aula, uma de minhas entrevistas à jornalista Paula Caires da Revista Projetos Escolares XX, onde esta é a grande questão:

 

Até que ponto estar presente na sala de aula comum, significa realmente, um processo de inclusão, não só do aluno com deficiência, mas de todos com todos?

 

Projetos Escolares: ― Até que ponto o fato de você ter paralisia cerebral influenciou na sua carreira?

Emílio Figueira: Com meus passos atravessei as três fases brasileiras dessa temática em quarenta anos de minha existência. Na década de 1970 eu estava lá, semi-interno na AACD, expereciando os últimos anos da institualização total que se promoviam em torno de quem tinha qualquer tipo de deficiência. No início dos anos de 1980, quando ocorreu o lendário Ano Internacional da Pessoa Deficiente (1981), foi um marco de muitas rupturas de conceitos, possibilitando a segunda fase brasileira com relação a nós. Era a chamada Integração Social, embora essa ainda trouxesse em suas entrelinhas o modelo médico. Foi nessa época que me despertou a consciência política. Por ser jornalista na época, foram incontáveis as matérias e artigos de opinião escritos e publicados nos mais variados órgãos.

Projetos Escolares: Quando surge o conceito de Educação Inclusiva?

Emílio Figueira: ― Nos últimos vinte anos vi nascer e desenvolver o terceiro conceito com relação às pessoas com deficiência – a Inclusão Social e a Escolar – pautado no ano de 1994, pela Declaração de Salamanca. Esse documento reafirmou o compromisso com a “Educação para Todos”, reconhecendo a necessidade de providenciar educação para pessoas com necessidades educacionais especiais dentro do sistema regular de ensino. Esse conceito rompe com os dois anteriores pautados em modelos médicos. De acordo com ele, toda a sociedade deve se envolver na questão e, cada vez mais, surgem campo e ações na prática.

P.E.: ― A que você acha que se deve esses avanços na prática?

E.F.: ― Acredito que a internet tem uma grande parcela nesse processo, pois nunca tantas pessoas se comunicaram e trocaram ideias sobre o assunto. As antigas reuniões e movimentos de pequenos grupos hoje se dão nos ambientes virtuais e o que é melhor, ao alcance de todos e democraticamente. O mercado de trabalho nunca absorveu tantos profissionais com deficiência; a inclusão escolar é uma realidade cada vez mais concreta; nos meios de comunicação de massa falam e mostram essas questões. No campo das ciências, o desenvolvimento da biomecânica, as pesquisas e os resultados preliminares com células-tronco e tantos outros estudo também me fazem ficar bastante animado com a reabilitação física e a cura de doenças de muitas pessoas.

 

P.E.: ― As matrículas de crianças com deficiência em escolas ou sala regulares tem aumentado.  Você acredita que essas crianças estão sendo de fato incluídas? Por quê?

E.F.: É uma questão difícil de responder, pois não sabemos quantas realmente estão em um processo de inclusão e quantas estão sendo apenas colocadas nas escolas só para se cumprir a lei e ficam “jogadas” de canto. Infelizmente isso acontece. Mas quero crer que a grande maioria dessas crianças realmente estão sendo incluídas. Eu que acredito em formas naturais de inclusão, fico imaginando essas crianças chegando às escolas, sendo recebidas pelos professores, colegas e todos da escola, todos se descobrindo, adaptando-se e criando modos de relacionamentos e aprendizagens para cada caso. Tudo se torna funcional.

image

P.E.: ― O que esperar de um professor que tem entre seus alunos crianças com necessidades educacionais especiais?

E.F.: ― De fato, nenhum professor está preparado para trabalhar com a Inclusão Escolar até o momento que chega a sua turma um aluno a ser incluído. Ninguém em nenhuma situação está preparado para resolver algo que nunca vivenciou – o que muitas vezes exige conhecimento de experiências anteriores. Será neste momento que veremos quem é o educador de verdade. O acomodado alegará não estar preparado – pois rejeitar um aluno com essa alegação será muito mais fácil e rápido para se livrar da questão. Mas o verdadeiro professor, consciente de seu compromisso e desafio ético de educar a todos que pertencerem ao seu alunado, primeiro o receberá; depois irá se informar, buscar o maior número possível de informações e recursos para promover o desenvolvimento global daquele aluno.

 

Será neste momento que veremos quem é o educador de verdade. O acomodado alegará não estar preparado – pois rejeitar um aluno com essa alegação será muito mais fácil e rápido para se livrar da questão.

 

P.E.: ― Mas a inclusão escolar não deve ser papel também da escola, do poder público e da família? Qual o modelo ideal para que o professor não se sinta sozinho nesse processo?

E.F.: ― Não gosto de falar em modelos, mas sim em possibilidades. E uma possibilidade de sucesso de um processo inclusivo será a parceria escola-família. É de fundamental importância que a família esteja engajada diretamente neste projeto de Escola Inclusiva. Não podemos esquecer inicialmente que o nascimento de uma criança com algum tipo de deficiência já traz várias reações e sentimentos à família, uma desorganização emocional que só reencontrará o equilíbrio com a aceitação do fato. E quanto maior for essa aceitação, maior será o envolvimento no processo terapêutico e educacional da criança. Papéis que pais e professores desempenham no desenvolvimento e educação da criança, são próximos e complementares e podem proporcionar à criança melhores oportunidades no desenvolvimento de suas capacidades, seja qual for a sua limitação. Uma das primeiras formas será que professores consigam a ajuda de um membro da família, que irá fazer a “lição de casa” com a criança, fazendo uma revisão do que foi feita na sala de aula nesse dia. Seria muito bom se os pais tivessem atitudes como essas: participar de reuniões da equipe escolar para planejar, adaptar o currículo e compartilhar sucessos; serem incorporados pela escola como parceiros de planos da equipe, participando de todos os aspectos operacionais da escola; estarem nas atividades extracurriculares; ter acesso a treinamentos relevantes; a escola desenvolver informações sobre os serviços de apoio à família. E, na interação escola-família a Inclusão Escolar obterá muito mais êxitos.

P.E.: O modelo educacional, que educa para o mercado de trabalho, para competividade, pode ser um dos causadores de tanta ansiedade e medos por parte do professor, que se vê obrigado a apresentar “resultados”?

E.F.: ― Com certeza. A direção na expectativa de mostrar resultados, o professor querendo rapidamente encontrar soluções de como trabalhar com aquele aluno, etc. A dica que dou aos professores é que, primeiro, receba o aluno e permita que vocês vão se conhecendo mutuamente, nos primeiros dias, pegando confiança um no outro, aprendendo o jeito de um e do outro. Ao mesmo tempo em que for buscando o maior número possível de informações sobre o aluno e formas de trabalhar com ele, o professor descobrirá naturalmente, no dia a dia, suas próprias técnicas e adaptações de atuação em cada caso. Afinal, sendo a Educação um processo feito por etapas, por que diante da Inclusão Escolar muitos procuram respostas rápidas?

 P.E.: O que significa desenvolvimento global nesse contexto?

E.F.: ― Quando digo desenvolvimento global é porque entendo a Inclusão Escolar não só como o processo de transferir o conteúdo ao aluno, mas também promover de forma natural a interação social entre todos. Um sistema de cooperação e convivência entre eles, noções de respeito entre as diferenças e, dentre outros aspectos, o desenvolvimento psicomotor dessas crianças. Isso porque quando elas veem seus colegas sem deficiência realizando certas tarefas, serão estimuladas a imitarem e se auto-estimularão, se superarão em suas próprias deficiências. Estímulos que não teriam se ficassem em instituições especializadas entre alunos com deficiências semelhantes.

vygotsky

P.E.: Há sete anos você estuda a obra do psicólogo russo Lev Vygotsky. O que ele tem haver com esse processo de Inclusão?

E.F.: ― Tudo, o Vygotsky é seguramente o grande teórico da Inclusão Escolar e Social, mas infelizmente só foi descoberto nos meios acadêmicos ocidentais depois de 70 anos da sua morte. Pensador importante, foi pioneiro na noção de que o desenvolvimento intelectual das crianças ocorre em função das interações sociais e condições de vida.

E.P.: Ou seja, é uma questão de mudança de foco?

E.F.: ― Vygotsky era um pensador totalmente dialético. Por meio da análise de uma compreensão dialética do desenvolvimento, na qual os aspectos tidos como normais e especiais se interpenetram constituindo os sujeitos, ele afirmava que as pessoas com necessidades educacionais especiais não são menos desenvolvidas em determinados aspectos que as sem deficiência e sim, desenvolvem-se de outra maneira. Suas forças são muito mais importantes do que suas faltas. Vygotsky rejeitava as descrições simplesmente quantitativas, em termos de traços psicológicos refletidos nos testes psicológicos, destacando que estes instrumentos apenas indicavam uma visão incompleta ou unidimensional sobre a criança. Preferia, então, confiar nas descrições qualitativas da organização de seus comportamentos.

 

Em outras palavras, o ambiente influenciaria a internalização das atividades cognitivas no indivíduo, de modo que, o aprendizado gere o desenvolvimento.

 

P.E.: ― Na visão de Vygotsky qual a diferença entre aprendizado e desenvolvimento? Como eles se relacionam?

E.F.: A aprendizagem interage com o desenvolvimento, produzindo abertura nas zonas de desenvolvimento proximal que é a distância entre aquilo que a criança faz sozinha e o que ela é capaz de fazer com a intervenção de um adulto; potencialidade para aprender, que não é a mesma para todas as pessoas; ou seja, distância entre o nível de desenvolvimento real e o potencial, nas quais as interações sociais são centrais, estando então, ambos os processos, aprendizagem e desenvolvimento, inter-relacionados; assim, um conceito que se pretenda trabalhar, como por exemplo, em matemática, requer sempre um grau de experiência anterior para a criança. Vygotsky apontava que o sujeito não é apenas ativo, mas interativo, porque forma conhecimentos e se constitui a partir de relações intra e interpessoais. É na troca com outros sujeitos e consigo próprio que se vão internalizando conhecimentos, papéis e funções sociais, o que permite a formação de conhecimentos e da própria consciência. Trata-se de um processo que caminha do plano social – relações interpessoais – para o plano individual interno – relações intrapessoais. Assim, a escola é o lugar onde a intervenção pedagógica intencional desencadeia o processo ensino-aprendizagem. O professor tem o papel explícito de interferir no processo, diferentemente de situações informais nas quais a criança aprende por imersão em um ambiente cultural. Portanto, é papel do docente provocar avanços nos alunos e isso se torna possível com sua interferência na zona proximal – que significa a área mediada entre aquilo que o aluno já sabe e a aproximação com o conteúdo que ele irá aprender. Ao observar a zona proximal, o educador pode orientar o aprendizado no sentido de adiantar o desenvolvimento potencial de uma criança, tornando-o real. Nesse ínterim, o ensino deve passar do grupo para o indivíduo. Em outras palavras, o ambiente influenciaria a internalização das atividades cognitivas no indivíduo, de modo que, o aprendizado gere o desenvolvimento. Portanto, o desenvolvimento mental só pode realizar-se por intermédio do aprendizado.

P.E.: Qual a importância das relações sociais da criança com algum tipo de deficiência com outras sem deficiência?

E.F.: ― Ao nascer ou adquirir uma deficiência, a criança passa a ocupar certa posição social especial, levando-a ter relações com o mundo de maneira diferente das que envolvem as crianças ditas normais. Junto com suas características biológicas (núcleo primário da deficiência), a criança começa a constituir-se um núcleo secundário, formado pelas relações sociais, onde as interações serão responsáveis pelo desenvolvimento das funções especificamente humanas, surgindo as transformações das funções elementares (biológicas). A criança, ao interagir com um mundo mediado por signos, transformará tais relações interpsicológicas em intrapsicológicas. Portanto, a consciência e as funções superiores se originaram na relação com os objetos e com as pessoas, nas condições objetivas com a vida. Por isso, defendo a Inclusão Escolar já nas séries iniciais.

P.E.: Qual conselho você daria a um professor que tem uma criança com necessidades educacionais especiais?

E.F.: ― Eu diria que o grau de normalidade de qualquer aluno depende de sua adaptação social, então, não encare a deficiência de qualquer tipo como obstáculo, mas como um desafio. O processo criativo é a luta do aluno com tudo que o limita. Talvez, conhecendo essa visão que Vygotsky descrevia sobre as crianças com deficiência, os professores poderão diminuir suas ansiedades que nada mais são que a falta de um conhecimento prévio.

 

FLORES QUE NASCEM ENTRE ROCHAS!

Para terminar esta aula, quero lhe convidar a assistir a minha primeira palestra online especialmente para os alunos dos meus cursos.

Nela, defendo este ponto de vista: “A Educação Inclusiva é uma flor que nasce entre rochas. Ela precisa ser alimentada com conhecimento, com teorias, com treinamentos. Mas principalmente com amor!!!”

 

MATERIAIS DE APOIO PARA DOWNLOAD

A NOVA LEI BRASILEIRA DE INCLUSÃO

DECLARAÇÃO DE SALAMANCA

 

    1. Aqui em minha cidade existem muitos professores usando desse discurso que não estão preparados pra trabalharem com crianças especiais e adorei o seu exposto .Eu acredito na inclusão sim , de forma real numa inclusão de valores morais e éticos,mais não se admite um profissional que se diz educador não tentar ao menos conhecer as necessidades especiais dessa criança e tentar meios de ajudá-la nas suas limitações pedagógicas .

      1. Oi Wildarlany, concordo com você. Na minha cidade, ainda ouço muito esse discurso de que “não estou preparado para trabalhar com alunos público alvo da educação especial”. Infelizmente, vós digo, que muitos professores não estão preparados nem para trabalhar com os alunos “ditos normais”, pois muitos não estão aprendendo. Espero que esse quadro em que se encontra a educação mude.

    2. Eu também adorei. Trabalho em uma sala de recursos e percebo que o meu trabalho na escola é um elo de ligação muito importante com sala regular

      1. É uma ótima aula com muita clareza e riquezas de detalhes e principalmente mostra para nos que desde de sempre tem as necessidades especiais , mas só agora os temas estão sendo abordados e estudados .

    3. Parabéns pelo belo trabalho! É uma ótima capacitação. Se faz necessário quebrar o mito da pessoa com deficiência, ele só precisa de apoio, um trabalho estruturado, para se desenvolver. Aprendi muito com a primeira aula, vou aguardar as próximas.
      pedagoga, professora da sala de recursos na cidade de Ariquemes-Rondônia.

    4. Parabéns pela iniciativa professor, adorei a primeira aula. Só gostaria de pedir orientação sobre a comprar do seu livro, não conseguir ter acesso para a compra do material.

  1. Adorei a primeira aula, gostaria de saber se e algum momento poderei colocar sua resposta dada na entrevista, em meu TCC. Aguardo retorno, um abraço.

  2. Olá prof. Emílio, a primeira aula trouxe uma excelente abordagem histórica, mais ampla das que eu já havia tido oportunidade em outros cursos.
    Gostaria, no entanto, de saber de você teria algum material para indicar sobre o processo de inclusão de pessoas com deficiência em cursos de educação profissional, tecnológica e superior.
    Trabalho em um Instituto Federal de Educação Profissional e Tecnológica, e por vezes observo na fala dos docentes e demais profissionais da educação que há realmente uma ansiedade em preparar o profissional “perfeito” para o mercado de trabalho, e isso tem sido de uma certa forma motivo de resistência em discutir o processo de inclusão educacional.

  3. Muito esclarecedora esta aula, realmente concordo com a parte onde é colocado que somente saberemos se o aluno de inclusão realmente estará incluso se professor, escola, família , enfim sociedade trabalhar em conjunto. Falta ao meu ver o professor aceitar a inclusão, não o discriminando. Claro que exitem casos, cada inclusão é um caso isolado, isto ao meu ver.

  4. Olá, sou professora da sala de recursos multifuncionais e sempre estou acompanhando suas postagens. Parabéns pela iniciativa.
    Muito pertinente sua fala sobre as contribuições de Vygotsky na área da educação especial.
    De fato, as pessoas precisam se apropriar de conhecimentos para oferecer aos alunos com deficiência condições de acesso para seu pleno desenvolvimento, assim como os demais alunos.

  5. Apresentação e aula ótimas. Fiquei impressionada com história de professor Emílio. Foi possível entender melhor a trajetória da educação inclusiva. realmente esclarecedor. Ansiosa pelas demais aulas , obrigada.

  6. Boa noite. Aula excelente, estou cursando Pedagogia, e, por grande coincidência, amanhã tenho prova na Disciplina de Educação Inclusiva, depois desta aula, acho que vou tirar 100! Obrigada e até a próxima aula.

  7. olá, bom estudo para todos!
    Interessantíssimo o material apresentado, o conhecimento transforma as pessoas e para um inclusão de fato. Esta ocorrerá quando tivemos o conhecimento a nosso favor e usarmos para garantir o direito de todos.

  8. olá, bom estudo para todos!
    Interessantíssimo o material apresentado, o conhecimento transforma as pessoas e para um inclusão de fato. Esta ocorrerá quando tivermos o conhecimento a nosso favor e usarmos para garantir o direito de todos.

  9. Boa Tarde. Aula excelente, estou cursando Mestrado tenho uma Disciplina de Educação Inclusiva, depois desta aula, acho que vou tirar muitas duvidas. Obrigada e até a próxima aula.

  10. Boa moite Professor Emílio figueira essa primeira aula foi excelente pois estou com duas crianças com necessidades especiais na minha sala e com certeza vai me valer bastante ,já fiz outro curso de educação especial sendo você o tutor e cada curso feito me apaixono pelas crianças e pelo tema da educação especial e vou aguardar ansiosa as próximas aulas . Abraço com carinho.

  11. Boa tarde !!
    Primeira aula foi excelente pois estou cursando mestrado com certeza vai me valer bastante .
    obrigada!!!
    abraços

  12. Boa Tarde professor Figueira !
    Esta primeira aula foi excelente , agora pude entender com muito mais clareza , tudo sobre inclusão desde o principio até nos dias atuais,
    estou escrevendo meu tcc , nesta temática e estou cada dia mais convencida de que escolhi o tema certo graças ao senhor.
    Um grande abraço.
    obrigada !!

  13. Bom dia,adorei a nossa primeira aula,muito interessante e construtiva,deu para entender bem melhor o processo de inclusão quando há,e ver os desafios que já foram enfrentados e ainda estão por vir,pois a inclusão é um processo contínuo.

  14. Obrigada professor por reavivar nossos conhecimentos e acrescentar tanta experiência a teoria de Vygotsky, vou encaminhar o curso as professoras que ajudo a orientar na educação especial pode ser?

  15. Ol-a Professor, gostei muito desta primeira aula. Estou fazendo minha pós em Educação Especial com Educação Infantil e meu foco é a educação de crianças cegas e baixa visão, o senhor indica algum material para minhas pesquisas?

  16. Olá Prof. Emílio,

    Excelente aula! O material apresentado é muito claro, objetivo e ao mesmo tempo rico. A contribuição de Vygotsky para a Educação Inclusiva é de fundamental importância, pois não se pode trabalhar com o ser humano sem levar em consideração o seu contexto social.

  17. Bom dia prof. Emilio!
    Que satisfação poder compartilhar com você sobre inclusão. De forma clara esclareceu muitas dúvidas e consequentemente ampliou meus conhecimentos e me fez refletir enquanto educadora.
    Abraço

  18. Muito surpresa e satisfeita com a abordagem da primeira aula. Ansiosa pelas demais.
    Muito obrigada Profº Emílio por compartilhar conosco, sua vasta experiência!
    Abraços
    Gisele

  19. Boa tarde, professor e cursistas!

    Sempre temos sido orientados que alunos com dificuldades de aprendizagem não são consideradas alunos com necessidades educacionais especiais. Entretanto, o professor aponta que, de acordo com a declaração de Salamanca, “toda criança que possui dificuldade de aprendizagem pode ser considerada com necessidades educativas especiais”.
    Quando apontamos alunos para atendimento educacional especializado (sala de recursos multifuncionais – AEE), a dificuldade de aprendizagem deve estar respaldada por um laudo ou por uma investigação de uma equipe multifuncional (psicóloga, fonoaudióloga, entre outras).
    Poderia esclarecer melhor esse ponto?
    Att.
    Joseane

  20. Boa Tarde, Professor Emílio!
    A primeira aula foi muito boa.
    É mais uma oportunidade de avivar os conhecimentos e aprendizados em nossa vida profissional. É um momento de se refletir sobre o nosso fazer pedagógico diante desse desafio que é a inclusão no ensino regular.
    Acredito que nós ainda não estamos preparados para o trabalho, o mais difícil é fazer a adaptação curricular na prática.
    Obrigada Professor Emílio!
    Abraços!

    Att.
    Maria de Jesus

  21. Professor Emílio, ” Paz e Bem ! ”

    Como Professora do Atendimento Educacional Especializado da escola em que trabalho, percebo o quanto necessitamos de informação para credibilizar o nosso trabalho , a nossa postura como profissional e a consciência tranquila que estamos no caminho certo. Atualmente também estou fazendo um curso do 60h, pela Universidade Federal do Ceará ( Facilitadores da Inclusão ). Um curso presencial com a mesma relevância deste que estou iniciando com vocês. Ao perceber a facilidade que encontro em fazer associações de ideias, compreender melhor as leituras e o contexto em que as coisas aconteceram e acontecem, participo com mais altivez , após ler e estudar sobre esta primeira fase, apresentada por vocês. Obrigada pela oportunidade em entender mais, para ser mais uma na luta pela igualdade. Abraços com o calor do Ceará. Elivania N. Magalhães.

  22. Gostei muito da 1º aula, aprendi muito sobre a aprendizagem construtiva,deu para entender bem melhor o processo de inclusão quando há,e ver os desafios que já foram enfrentados e ainda estão por vir,sabemos que a inclusão é um processo contínuo.

  23. Gostei muito da 1º aula, aprendi muito sobre a aprendizagem construtiva,deu para entender bem melhor o processo de inclusão, os desafios que já foram enfrentados ,sabemos que a inclusão uma contínuidade.

  24. Muito interessante a primeira aula. Veio reafirmar o conhecimento que eu tinha sobre o histórico da educação inclusiva no Brasil. E ainda esclarecer a diferença entre integração e inclusão. Essa diferença é mudança de paradigma. Muda radicalmente o tratamento direcionada às pessoas com deficiência! A entrevista é de um valor extremo pois nos colocam a par do referencial teórico, o sócio internacionismo. É sempre muito bom saber de que lugar o professor/a professora fala. Gratidão!

  25. Olá Professor Emílio
    Bom te conhecer, bom compartilhar seus conhecimentos a favor de uma causa tão importante, Sou professora AEE, sua aula esclareceu.
    acrescentou informações essenciais. Obrigada por tudo. Aguardo ansiosa as próximas aulas.
    Abraço

  26. Excelente material com perspectiva historica e reflexao social. Continue contribuindo com a construçao de um trabalho inclusivo dentro das escolas.

  27. Adorei a aula, sou professora e faço pós graduação em psicopedagogia, achei a aula muito boa, bem esclarecedora, aguardo as próximas.

  28. Gostei muito do material, e como foi exposto, uma forma simples de explicar o conteúdo, é disso que precisamos, um modo simples que possa nos ajudar a lidar com esta prática que é um novo desafio para todos, pois sinceramente acho que não estamos preparados para todas as necessidades que nossas crianças esperam e precisam.

  29. Adorei a primeira aula, texto enriquecedor, vídeo esclarecedor, trabalhar a inclusão é muito difícil, na cidade onde moro infelizmente os professores não encontram-se preparados para essa realidade, o que torna meu trabalho uma superação cada vez maior, hoje meu foco é o BPC (Beneficio de Prestação Continuada)na escola, são crianças com deficiência inseridas nas escolas. Esse curso ajudará muito.
    Excelente aula, aciosa pela próxima.

  30. olá ótima aula, trabalho com educação infantil – cmei e no ano passado recebemos uma sala de Recursos do Mec, foi maravilhoso e essa aula me ajudou muito.obrigada.

  31. Adorei é muito interessante e enriquecefor saber sobre inclusão pois nos dias atuais algumad escolas só vivem no papel porque na prática ainda não funciona, e atualmente estão aparecendo muitas crianças com deficiências e temos que ajudar elas a incluindo dentro da sociedade e não exclui – las mesmo porque eles precisam de ajuda e apoio não desprezo. Essas aulas irão ajudar no meu ctg.

    1. Gostei muito dessa aula professor, foi de grande valia. Gosto muito desse tema, Educação Inclusiva. Penso, q se todos os professores, repensasse, como esse tema tem uma necessidade intrissica com a educação, se em meio as suas necessidades pessoais unissem um com o outro o mundo seria outro. Como professores precisamos ter um olhar diferenciado. Educação inclusiva, com educação com necessidades educacionais especiais , forma uma sociedade mais solidária, humana com amor aos semelhantes. Obrigada, por promover este curso para nós. Deus te abençoe e abra mais novos horizontes na sua vida. Boa noite.

  32. Parabéns, bela aula e muito enriquecedora.
    Trabalho com inclusão há 12 anos, sei muito bem como é o universo de pré-conceitos que as crianças sofrem, professores justificam constantemente a falta de informações, mas são poucos que abraça a causa e se interessam em conhecer sobre inclusão.

  33. Professor Emilio , Gostei muito do curso muito interessante o seu testemunho.
    O conteúdo programático enriquecedor.
    Sou professora reconheço que realmente a inclusão é um pouco complicado quando não temos uma formação direcionada.
    Vou compartilhar o material para algumas colegas . posso?
    Obrigada pela oportunidade.

  34. Parabéns pela aula. Bom eu comecei a trabalhar em uma escola de educação especial eu amei. Mais hoje não estou mais em sala de aula e gostaria muito fé voltar a trabalhar com crianças especial, só que as pessoas né crítica muito por eu querer trabalhar com crianças especial. Eu fico muito triste em ver muitas crianças de inclusão sendo abandonada em sala pois falta profissional capacitados para ensinar essas crianças especial já pensei em largar a profissão de professora pois né dói muito ver esse ser inocente abandonados.

  35. Excelente!
    Parabéns pela iniciativa, contribuirá bastante com professores que ainda estão “perdidos” nesse contexto inclusivo.

  36. Estou atrasada em relação as aulas mas vou estudá-las e seguir a todas. De grande valia, pois o conhecimento é sempre bem vindo.

  37. Boa noite!
    Trabalho na Educação regular ha 27 anos.No ano passado comecei um trabalho com a Sala de recursos AEE e estou apaixonada,mas tenho pouca experiencia e quero muito ampliar meus conhecimentos através de cursos.
    Eu quero e preciso aprender a trabalhar nesta área sabendo que posso contar com cursos online.
    Aula maravilhosa.Parabéns!!!

  38. O curso é ótimo e a primeira aula muito clara no que se trata a educação inclusiva. Como sou professor de Educação especial a 2 anos este curso vai me dar mais subi silho para que eu possa adequar as minha aulas mais direcionadas a cada especificidade dos meus alunos.

    A educação especial no contexto histórico vem ganhando bastante espaço, nas ultimas décadas com importantes contribuições de pesquisa e aprofundamento sobre o assunto e na área educacional e da discussão das politicas, participação social das crianças, adolescentes e de adultos com algum tipo de deficiência. O avança do decorre dessa historia é bem fortalecido por leis que defendem e apoia o deficiente e com um grande avanço politico e teórico vem modificando a posição que a deficiência ocupa socialmente, mas a construção de projetos educacionais que incentiva inclusão ainda enfrenta obstáculo a ser desafiado pelos educadores. A quase trinta anos a educação especial vem sendo discutida em diversos países mas o desafio aqui no Brasil não foi deferente já que as oportunidades educacionais para todas as crianças são as mesmas que ocorrem nos países vizinhos e enfrenta as mesma dificuldades no processo de inclusão.

  39. Sou estudante de Pedagogia e achei esta aula excelente! Amei a entrevista e farei a minha monografia sobre os desafios da educação inclusiva.

  40. Parabéns pela primeira aula, gostei da abordagem feita. Terminei um curso pela UFERSA em educação especial e o material fornecido na primeira aula, veio colaborar com os outros que já tinha trabalhado. Parabéns!

  41. Maravilhoso obrigada, sempre bom rever falas de vigotsky grande pensador pena que morreu tão jovem….parabéns pela iniciativa,professor.

  42. Estou gostando muito da abordagem desse curso. Sou Orientadora Educacional em escola pública, onde se questiona muito
    os procedimentos que desenvolvemos com nossos alunos especiais. Notamos que se desenvolvem muito socialmente, com o convívio com os colegas. Gostam da rotina escolar,são bem acolhidos, bem cuidados… mas pouco se desenvolvem na questão da aprendizagem, o que me angustia bastante. Seria necessário um grupo de profissionais especializados,(psicólogos,neuros…) trabalhando como apoio, juntos, escola e família, para que as ações fossem mais efetivas. Um abraço.

  43. Olá professor Emílio Figueira, gostei muito da primeira aula, estou começando a me aprofundar nos estudos sobre Educação Especial e Inclusiva, pois estou cursando uma pós-graduação na área, você poderia me indicar alguns livros fundamentais nessa área?

  44. Excelente aula,gratificante. Um dos papéis da escola é trabalhar a conscientização dos alunos. ¨Todos nós somos seres humanos,mas nem todos agem como cidadãos. Portanto é despertar o interesse dos alunos e dos familiares, unindo toda comunidade escolar para repensar as questões que afetam todos nós.

  45. Estou adorando ler sobre tudo isso…
    Além de ser pedagoga e trabalhar com algumas crianças com necessidades educacionais especiais, eu também sou uma MÃE ESPECIAL… e ao contrário de algumas pessoas, eu gosto sim desse termo ESPECIAL…. por tudo que ele possa significar.
    E adorei a parte que se fala em possibilidades e não em modelos…
    É isso mesmo que acredito… em POSSIBILIDADES!
    Quando se tem boa vontade, corremos atrás das possibilidades, por mais difícil que possa ser. Por mais obstáculos que possam aparecer. Se ficarmos arrumando as desculpas dos “ses” , nada acontece. Então vamos arregaçar as mangas e fazer a nossa parte!

  46. Boa tarde Professor Emílio, a Educação Inclusiva, passa atualmente por um de seus melhores momentos, apesar de todas as dificuldades encontradas, nunca foi tão discutida esta questão. Quando nos aprofundamos neste assunto, acabamos por descobrir que em algum momento da vida somos deficientes. E nós, professores precisamos buscar a formação continuada, precisamos contribuir para o aprimoramento de técnicas que favorecem a aprendizagem nos seus mais diversos tipos de público alvo e assim promover uma educação de qualidade a todos.

  47. Recentemente, discute-se a obrigatoriedade da escola em matricular todas as crianças, independente de ter necessidades especiais educacionais, onde diversas escolas particulares querem cobrar pelo atendimento especializado. A lei diz que as escolas particulares devem possibilitar as mesmas condições da pública. A escola deve estar preparada, adaptada totalmente, com infraestrutura, materiais, com funcionários e docentes capacitados para trabalhar a inclusão, com formação continuada, recebendo todos com igualdade de direitos, desenvolvendo suas potencialidades, formando cidadãos participativos e transformadores dessa realidade.

  48. Olá Emílio, gostaria de agradece por esta aula, foi de uma grande contribuição para o meu trabalho, inclusive quando relata sobre os seus estudos no psicólogo russo Lev Vygotsky, “Por meio da análise de uma compreensão dialética do desenvolvimento, na qual os aspectos tidos como normais e especiais se interpenetram constituindo os sujeitos, ele afirmava que as pessoas com necessidades educacionais especiais não são menos desenvolvidas em determinados aspectos que as sem deficiência e sim, desenvolvem-se de outra maneira. Suas forças são muito mais importantes do que suas faltas.”
    A partir de suas contribuições, me dedicarei ao estudo do conhecimento da Pedagogia dele… Com certeza fortalecerá nossa prática inclusiva

  49. Olá professor.
    gostei profundamente da iniciativa de divulgar saberes e dilatar o horizonte dos professores. somente através do conhecimento será possível ao professor ser um fomentador da inclusão na escola. Observo que o real motivador da discriminação é o desconhecimento. Também é a ignorância a responsável pela aderência a modismos no que tange a educação. Classe especial x classe regular é a grande preocupação do momento, em detrimento do aluno, das suas potencialidades, necessidades etc Por isso o curso como motivador na aprendizagem e na reflação é tão importante e necessário nos dias atuais. Obrigada pela iniciativa.

  50. ILCEIA PINHEIRO. Sou professora da sala de recursos SME RJ. Amei a primeira aula! Sua iniciativa de apresentar esse curso é muito oportuna considerando que muitos profissionais encontram-se perdidos. Muitos estão vivendo uma luta solitária, sem acesso a informações tão relevantes. Muitos também não estão dispostos a estudar mais para melhor compreender o que seja Inclusão escolar de fato. Infelizmente esses profissionais estão na linha de frente na condução dessa Inclusão escolar nas nossas escolas públicas. Fico preocupada com essa ausência de acolhimento a que a maioria das crianças incluídas estão submetidas, por conta dessa presença de profissionais tão acomodados, tão desanimados e também bastante sobrecarregados com serviços burocratizados e superlotação de alunos em salas de aulas. Nessas condições hostis um trabalho pedagógico mais individualizado e mais criatividade do professor ficam reduzidos. Muito embora isso não signifique que certos professores esmoreçam, pois há aqueles, e são raros, que conseguem transformar os obstáculos que têm pela frente em desafios. Mas estes profissionais não são a regra são exceções. Penso que não deveríamos contar com as exceções pra fazer valer os direitos das pessoas com deficiência em escolas regulares. Esses profissionais precisam de instrução e condições pra desenvolver bem o seu ofício. Achei essa iniciativa desse curso gratuito pela Internet uma forma de ajudar e apoiar os professores interessados em aprender mais sobre a Inclusão Escolar e Social. Parabéns! !

    1. Tenho uma grande admiração pelo trabalho do Professor Emílio. E esse curso está sendo para mim um privilégio. A primeira aula veio complementar os meus conhecimentos sobre a Inclusão. Estou ansiosa para continuidade das outras aulas. Trabalho como Professora de Educação Especial há seis meses, e está sendo um desafio. Mas estou gostando muito, e acredito que existe possibilidades de um mundo melhor, uma sociedade mais solidária e que respeite as diferenças oferecendo sempre igualdade de oportunidade para todos. Muito obrigada e mais uma vez parabéns pelo seu trabalho.

  51. Tenho uma grande admiração pelo trabalho do Professor Emílio. E esse curso está sendo para mim um privilégio. A primeira aula veio complementar os meus conhecimentos sobre a Inclusão. Estou ansiosa para continuidade das outras aulas. Trabalho como Professora de Educação Especial há seis meses, e está sendo um desafio. Mas estou gostando muito, e acredito que existe possibilidades de um mundo melhor, uma sociedade mais solidária e que respeite as diferenças oferecendo sempre igualdade de oportunidade para todos. Muito obrigada e mais uma vez parabéns pelo seu trabalho.

  52. Educação Especial… caminho que eu quero seguir em minha carreira pedagógica. E com esta primeira aula do Emílio, tenho ainda mais convicção disso.

    Entrevista maravilhosa e esclarecedora. Li a LBI e ratifiquei que, infelizmente, as boas coisas no Brasil se arrastam para serem postas em práticas. Porém, agora, cabe a nós, educadores, fazer com que as leis sejam eficientes.

  53. A primeira aula pra me foi de suma importância, pois com ela pude compreender mas como se dá a educação inclusiva no âmbito escolar, porque na maioria das escolas, eles não tem esse cuidado em estar lidando com crianças especiais… Sou acadêmico do curso de Matemática e meu trabalho de conclusão de curso e na área da educação inclusiva com crianças com síndrome de Down, e com essa primeira aula ira me ajudar com certeza a enriquecer a minha pesquisa…

  54. Parabéns!profº Emilio. Uma aula riquíssima e esclarecedora, que irá me ajudar na construção do meu artigo.
    Mas infelizmente a muito o que se discutir, em algumas escolas sobre Inclusão Social. O tanto de informação que a no mundo e ainda é muito comum ver profissionais que fecha os olhos para a não aceitação.
    Mas acredito na possibilidade de um mundo melhor.

  55. Excelente,Ótima aula! Esta questão das leis é de pouco conhecimentos nas escolas, pelos professores e até mesmo por alguns diretores.
    Sou coordenadora da sala de AEE,irei repassar nas reuniões
    Muito obrigado.

  56. A diferença somos nós, quem fazemos a partir do reconhecimento de que cada um tem um grande valor na terra garantido por Deus. Assim sendo, amar e aceitar as diferenças é fundamental para termos uma boa relação com todos os indivíduos.

  57. Excelente aula! O material apresentado é muito claro, objetivo e ao mesmo tempo rico.Acredito que existe possibilidades de um mundo melhor, uma sociedade mais solidária e que respeite as diferenças oferecendo sempre igualdade de oportunidade para todos.

  58. Amei à aula! Estou cursando o terceiro ano de Pedagogia na Uniesp de Mirandópolis , tive o privilegio de participar da semana Pedagógica no de 2014 onde você era um dos Palestrantes, onde adquiri seus livros que muito tem me ajudado em meus trabalhos.
    Parabéns pelo curso.

  59. Feliz demais em saber que existe esse tipo de iniciativa, sou monitora da educação infantil inclusiva e tenho certeza que esse material vai ser muito útil, repassei para alguns colegas também monitores, Parabéns pelo Trabalho!!!

  60. Gostei muito da aula. Se fala bastante em inclusão, mas ainda na prática vemos muitas escolas e professores sem preparo, necessitamos de mais cursos como esse de apoio.

  61. Gostei muito, preciso ampliar meus conhecimentos, principalmente por que quero muito trabalhar com inclusão. Me indentifico muito nessa area material bastante proveitoso. Primeira aula riquissima e muito proveitosa.

  62. Muito boa.Um bom recurso para nós educadores,mais conhecimentos e uma visão bem clara sobre,o assunto Temos que estar preparados para receber nossos alunos e saber trabalhar com amor todas essas diferenças.

  63. Bom dia!
    Estou cursando a 7ª fase de Educação Especial. Sou Pedagoga e estou cursando pós em psicopedagogia! Me interesso muito e amo a educação especial! Foi um prazer conhece-lo mestre!

  64. Como é bom adquirir conhecimento,principalmente sobre um assunto tão importante para nossa sociedade, espero poder ajudar meus alunos e faze-los entenderem que precisamos amar a todos, trabalhar diferenças.Muito boa a aula, vai contribuir muito para minha vida profissional.

  65. Sua história de vida, de superação é extraordinária. Ganhou mais uma fã.
    Trabalho com AEE e sempre defendi esta bandeira. Busco ao máximo aprender e interagir com esse assunto que tanto me fascina, pois sou totalmente a favor da Inclusão Escolar, pois somos iguais em nossas diferenças. Assunto pelo qual ainda há muito tabu e discriminação, mas estamos aqui neste mundo não é por um acaso e sim para mostrarmos para que viemos.
    Então vamos lá, todos em prol de uma educação inclusiva, mais justa e igualitária; De uma Inclusão Escolar menos excludente; De uma sociedade mais humana e de um mundo melhor.

  66. Parabéns pela bela iniciativa e contribuição para os profissionais que no dia a dia tenha que lidar com essa temática

  67. Prof Emílio, boa noite!

    Quando o senhor diz: “Seria muito bom se os pais tivessem atitudes como essas: participar de reuniões da equipe escolar para planejar, adaptar o currículo e compartilhar sucessos; serem incorporados pela escola como parceiros de planos da equipe, participando de todos os aspectos operacionais da escola; estarem nas atividades extracurriculares; ter acesso a treinamentos relevantes; a escola desenvolver informações sobre os serviços de apoio à família”. Não conheço a realidade de outras cidades, mas na cidade onde moro infelizmente a família não tem acesso a escola com essa pesrpectiva e objetivos. Muito pelo contrário, a família é chamada para comparacer na escola quando o aluno está “dando trabalho” para os educadores. As vezes as famílias até tem atitude, mas as escolas não estão abertas a novas propostas. Tem que se pensar em um novo modelo de escola em um novo currículo. Currículo que acolha a TODOS.

  68. A primeira aula foi bastante interessante e educativa.
    Trabalhar com educaçao especial e’ muito gratificante!
    Busco sempre me informar sobre inclusao porque eu acredito que todos somos capazes e devemos contribuir da melhor maneira possivel uns com os outros para um mundo melhor, mais justo e humano!
    Obrigada por esta oportunidade de aprendizagem.

  69. Olá ,me chamo Graziela e sou de Belém ,sou acadêmica de Terapia ocupacional e estou no último ano do curso ,e o tema do meu tcc envolve educação inclusiva mas direcionado aos professores do ensino superior com alunos que tem deficiência e estão no ensino superior ,e vamos pesquisar essas dificuldades ,barreiras …. que os professores obtém com esses alunos … Eu gostaria de saber se você pode me dar dicas de como me aprofundar mais neste assunto ,se é o tema interessante … Adorei a 1 aula … Beijo

  70. Olá Pessoal!!!! Boa Noite a todos e a todas! Um bom curso para todos nós!
    Olá Professor! Sua iniciativa é muito louvável, distribuindo conhecimentos gratuito, muito obrigado!
    Material riquíssimo, com certeza farei um bom proveito.
    Recentemente tive uma experiência em AEE numa APAE e pretendo ingressar na Educação Especial do meu município.
    Defendo a inclusão, que todos nós possamos através do conhecimento, contribuir por uma sociedade menos preconceituosa.

  71. Bom dia, Professor Emílio!
    Meu nome é Nilzéte, me formei em Pedagogia , seu livro foi fonte de inspiração para minha monografia: “Acessibilidade ao deficiente físico, visual e auditivo nas escolas”. Ótima aula, ansiosa para próxima!!!

  72. Bom dia, gostei muito da primeira aula o material é muito rico em informações e para min que estou cursando pedagogia esclareceu muitas coisas. A inclusão é muito importante, só assim as crianças em sala de aula poderão interagir com os demais alunos e com o meio social.

  73. Muito bom.
    Informações riquíssimas e com toda certeza ajudará a nós professores e todos que obtiverem essas informações.
    E realmente é um desfio trabalhar com crianças especiais, mas não impossível. Isso dependerá do profissional.
    Já tive a experiência e graças a Deus obtive êxito. Mas pretendo me especializar a área.
    Muito gratificante!

  74. Gostei da primeira aula, tenho três filhos e o do meio foi diagnosticado com TDAH e tenho muitas dúvidas em como trabalhar com ele, e o seu desenvolvimento em sala é muito do concreto e as vezes os professores não estão preparados para esse tipo de trabalho que exige mais do professor que em muitas das vezes as salas de aula com numero elevado de alunos deixam o professor sem saída para desenvolver a relação aluno/professor acaba desgastando no decorrer do ano. Como devo proceder nesse caso?

    1. Muito obrigado, excelente aula!
      Gostaria de material que aborde o trabalho pedagógico de inclusao de crianças cegas e baixa visao pois estou pesquisando e estudando esse extraordinário universo para meu TCC.
      Muito obrigado pela oportunidade de conhece lo .
      Um abraço e a paz!

    2. A Educação é um direito de todos e deve ser orientada no sentido do pleno desenvolvimento e do fortalecimento da personalidade. O respeito aos direitos e liberdades humanas, primeiro passo para a construção da cidadania, deve ser incentivado.

  75. Muito interessante a primeira aula, bem explicada e uma linguagem clara.
    Meu muito obrigado pela oportunidade de conhecer um pouquinho de sua vida.

  76. Aula muito construtiva! Bom aprender com quem vivenciou na prática uma deficiência e esteve presente em ambiente escolar! A discussão sobre educação inclusiva é enriquecedora, pois a cada dia vemos mais presentes nas escolas crianças com deficiência, e é um desafio do professor estar apto para acolhê-las e proporcionar um aprendizado que contemple todas as suas necessidades e explores suas competências e habilidades, que assim como as crianças ditas normais, também possuem!

  77. Excelente conteúdo!
    Todos os envolvidos no processo educacional deveriam se informar mais sobre a inclusão para que realmente pudessem fazer a diferença na vida de crianças e jovens que chegam às escolas e passam por elas sem serem notados.

  78. Adorei a aula, pena que nós professores não tenhamos nenhuma matéria na faculdade no qual possa ser abordado esse tema. Entramos em sala totalmente despreparados para darmos apoio ao alunos com necessidades especiais, gostaria de estudar mais sobre esse tema!!
    Muito obrigada professor Emilio por compartilhar seus conhecimentos

  79. Aula esclarecedora! Acredito na Inclusão! Acredito no bem!

    “O Professor só estará preparado para trabalhar com alunos com deficiência se ele realmente estiver disponivel e acreditar que todos tem os mesmos direitos, indepedente de sua condição.”

  80. É sempre muito interessante e prazeroso estudar Educação Especial e Inclusiva.

    Toda essa discussão estimula cada vez mais a vontade e o desejo de conhecer a fundo essas especificidades humanas.
    É enriquecedor para nosso crescimento profissional e pessoal.
    Foi um prazer estudar !!!

  81. Adorei, a primeira aula!!
    Toda abordagem enriquecedora, sua linguagem é enriquecedora podendo ajudar públicos diferenciados…
    Estou aguardando o próximo ansiosa.
    Grata

  82. O que vejo em sala de aula em relação à criança com necessidades especiais, são professores extremamente ansiosos com resultados pautados em avaliações escritas que possam mostrar e atestar a evolução cognitiva/motora da criança como resultado de seu (bom) trabalho. De certa forma não significa necessariamente a medição da capacidade do aluno ou do trabalho do professor.
    Esquecem que toda criança apresenta de uma forma ou de outra algum progresso que pode nao estar explícito em cadernos, folhas e sondagens . Essa evolução evidencia-se até em um comportamento ou uma fala desse
    aluno.
    Essa necessidade que o mediador tem de atestar a capacidade de seus alunos pode estar camuflando as verdadeiras potencialidades de cada um. Porque cada criança é unica e único é sua forma de pensar e descobrir o mundo. Portanto a inclusão é para todos. E todos tem como contribuir para o processo educativo

  83. Adorei a primeira aula, excelente explanação, essa história quanto mais lemos, mais aprendemos. Uma bela contribuição ao nosso trabalho.

  84. maravilhoso, novos conhecimentos e uma segurança enorme para quem atua na educação!!! PALAVRAS DO PROFESSOR “não encare a deficiência de qualquer tipo como obstáculo, mas como um desafio”

  85. Adorei a aula! muita rica em detalhes e facil de entender.
    É enriquecedor para nosso crescimento profissional e pessoal.
    Foi um prazer estudar !!!
    Espero a próxima ansiosa.

  86. Adorei a primeira aula, como fui estagiaria do CEFAI essa aula foi para reafirmar o que aprendi e que com boa vontade conseguimos fazer a diferença.

  87. A primeira aula foi excelente , não sabia das primeiras instituições que abrigavam os deficientes “a Casa dos Muchachos a Roda dos Expostos e a origem das Santas Casas da Misericórdias .

  88. Gostei bastante dessa primeira aula. Fazer um passeio pela história do Brasil sobre o prisma da exclusão e da inclusão ajuda muito a entender , o porque de tanto preconceito e como podemos lidar melhor com as famílias e a dificuldade de aceitar o deficiente em casa, Mostrar que temos um deficiente na família parecia ser admitir que falhamos ao nos reproduzir, Produzimos seres diferentes. Como se não fossemos todos diferentes.

  89. AS AULAS DE EDUCAÇÃO ESPECIAL SEMPRE SÃO APAIXONANTES.
    QUANTO MAIS SE CONHECE, MAIS SE APRENDE, MAIS SE SOMA
    AUMENTA MUITO MAIS A VONTADE DE CONTINUAR A BUSCA POR NOVAS AULAS.
    AQUI TEM MUITAS INFORMAÇÕES PRECIOSAS PRA TODOS NÓS
    NÓS QUE BUSCAMOS INCANSAVELMENTE A EXPERIENCIA E VONTADE DE ESTAR JUNTO COM AS PESSOAS ESPECIAIS.
    PESSOAS ESSAS QUE PARECEM ANJOS EM NOSSO CAMINHO.

  90. Adorei a primeira aula vou sugerir para outras colegas para fazer esse curso maravilhoso hoje entrei em vários site aonde sugiro para minhas colegas colegas entrarem não mi lembro mais .Obrigado aguardo resposta .Parabéns pelo curso

  91. Gostei muito da aula, a inclusão escolar para mim como curiosa da área e profissional no campo da Terapia Ocupacional é essencial em uma escola regular, as crianças devem saber e conviver com a diferença, aliás somos diferentes, ninguém é igual ao outro. Assim sendo todas as escolas deve haver uma equipe multidisciplinar.

  92. Primeira aula muito boa,sabemos que a Educação Inclusiva faz-se necessária,que muitos foram os avanços mas não podemos deixar de reconhece que até os dias de hoje é um Paradigma .Tendo em vista que temos várias leis que amparam,hoje é vista como uma modalidade da educação básica,mas infelizmente existe e muito na teoria,porque se formos analisar a prática como esse processo acontece a realidade é triste.Escolas não preparadas/adaptadas para acolher os educandos,professores inseguros/despreparados e mantenedoras e governo sem prestar devido suporte,seja humano,recurso,adaptações necessárias,materiais e muito mais…

  93. Muito boa essa aula adquiri muitos conhecimentos.. Professor tem alguma livro que fale sobre a inclusão da criança com sínrome de down no ensino regular nas séries inicias? obrigado

  94. Olá
    Professor a aula foi muito boa e o vídeo muito esclarecedor! Creio que é muito apropriado para ser trabalhado em horário de trabalho pedagógico com a equipe de professores!

  95. A primeira aula trabalha a forma como lidar com a inclusão, já que a mesma ainda não é bem vista por muitos. Mas a necessidade de mudanças estão aos poucos acontecendo!
    É importante saber a hitoricidade de todo esse processo para assim melhorar o conhecimento das obrigatoriedades de se fazer a diferença numa boa educação inclusiva.

  96. A primeira aula trabalha a forma como lidar com a inclusão, já que a mesma ainda não é bem vista por muitos. Mas a necessidade de mudanças estão aos poucos acontecendo!
    É importante saber a historicidade de todo esse processo para assim melhorar o conhecimento das obrigatoriedades de se fazer a diferença numa boa educação inclusiva.

    1. Boa tarde Ordelinda, concordo com você a aula foi mesmo riquíssima, também trabalho com crianças com necessidades especiais, e este curso esta nos ajudando muito, a entender melhor todo esse processo da inclusão.

  97. Parabéns prof.Emílio. Pura superação, melhor, amor.Sou uma apaixonada pela inclusão, pela pluralidade,pela diversidade. Amo cada um dos meus alunos,aprendo muito com eles.

  98. Parabéns prof.Emílio. Pura superação, melhor, amor.Sou uma apaixonada pela inclusão, pela pluralidade,pela diversidade. Amo cada um dos meus alunos,aprendo muito com eles. Estou sempre pesquisando e busco informações com a família, minha linha de trabalho é POSSIBILIDADES e não limitação.

  99. Olá!
    òtimo!!
    Parabéns pela iniciativa em apresentar essa aula tão rica de conhecimento sobre a Educação Inclusiva. Como profissional da educação vejo como uma grande oportunidade para crescimento e amadurecimento nos conhecimentos sobre a inclusão. Ainda é um desafio nas escolas, mas estamos buscando a cada dia novos conhecimentos para enriquecer nossa prática.
    Obrigada pelo insentivo e por todo material aqui apresentado.

  100. Gostei muito da aula professor. Estou iniciando um trabalho científico nesta área e contarei com o acervo de suas aulas para me auxiliar no desenvolvimento deste. Boa Noite!

  101. Conteúdo riquíssimo!!! Gostei muito e com certeza vou aprender muito com este curso!!!
    Parabéns mais uma vez professor Emílio Figueira!!!

  102. Professor Emílio!
    Grato por transmitir os seus conhecimentos de forma tão clara e dedicada.
    Há 17 anos, pesquiso e me envolvo como professor na prática da pedagogia curativa e de inclusão, e não tinha encontrado um material tão completo sobre a matéria.
    Certamente, absorvendo, aplicando e compartilhando esses conhecimentos haveremos de preparar cada vez melhor nossas crianças, pais, professores e cuidadores para uma convivência natural e solidária, onde todos temos deficiências e todos temos eficiências.
    Abraço.

  103. Como primeira aula, superou todas minhas expectativas, confesso que , encontrei um achado como um “pirata” a encontrar um tesouro; só tenho a agradecer porque tenho certeza que estas aulas irão, não apenas enriquecer meu TCC mas, também acrescentarão muito em meu aprendizado em minhas práticas em sala de aula, até mesmo como preparatório para possíveis alunos, com todo sentido da palavra, tão especiais como você. De verdade, muitíssimo obrigado. Amei.

  104. Adorei esta aula.
    Trabalho com apoio a inclusão, gosto muito do que faço, e buscar novos caminho para melhorar o meu trabalho.

  105. Boa tarde .Professor Emílio gostei muito da primeira aula .Trabalho em escolas e com essas aulas vou poder ajudar muito as minhas crianças estou muito feliz.

  106. A inclusão social é uma batalha de todos,Esse curso tem um conteúdo rico de informações que são prímordias para o nosso dia dia .

  107. Parabéns professor pela explicação, pena que temos ainda muitos colegas com pensamentos pessimistas. Gostaria de saber como essas crianças vão no Censo escolar, se vão na sala Inclusiva e Especial e como vem o recurso do MEC para essas crianças?

  108. Caro Emílio Figueira
    Você é meu maior exemplo de superação e de que a inclusão é possível. E que ela depende de cada um de nós envolvidos na escola. Sou coordenadora pedagógica de uma escola de zona rural, há anos estou a curtos passos esperando a ” oficialização” da adaptação curricular para os alunos com necessidades especiais para que a verdadeira inclusão ocorra, cansei de esperar e não posso deixar os alunos esperando. Então decidi e com o envolvimento de toda a equipe escolar , em especial os professores que abraçaram esta ideias comigo, iremos fazer o melhor para a educação inclusiva. Os HTPCs estão auxiliando nesta formação, reflexão para a ação. E seu material, seus ensinamentos também estão colaborando com isso. Muito obrigada.

  109. Emílio Figueira
    Você é meu maior exemplo de superação e de que a inclusão é possível. E que ela depende de cada um de nós envolvidos na escola. Sou coordenadora pedagógica de uma escola de zona rural, há anos estou a curtos passos esperando a ” oficialização” da adaptação curricular para os alunos com necessidades especiais para que a verdadeira inclusão ocorra, cansei de esperar e não posso deixar os alunos esperando. Então decidi e com o envolvimento de toda a equipe escolar , em especial os professores que abraçaram esta ideias comigo, iremos fazer o melhor para a educação inclusiva. Os HTPCs estão auxiliando nesta formação, reflexão para a ação. E seu material, seus ensinamentos também estão colaborando com isso. Muito obrigada.

  110. Maravilha, especialmente quando existem diversidade de informações como este curso. Incluir e interagir é uma forma de sermos vistos como pessoa humanas de formas diferente de dedos diferentes, mas objetivo unico ter educacao e crescimento .

  111. Parabéns professor pela explicação, a qual acrescentarão muito em meu aprendizado em minhas práticas em sala de aula, pois trabalhar a inclusão ainda é um desafio grande a ser vencido.

  112. Amei sua aula, és um exemplo de que a Inclusão é possível. Sou tutora em um curso de pedagogia e sugeri seu curso para a turma.

  113. Sensacional, é sempre bom vê a história de superação das pessoas. Ver o Comprometimento com a educação das pessoas com necessidades especificas. De conhecer e nos aprofundar mais e mais nesta carreira tão linda e desafiadora que é a educação inclusiva.
    Parabéns professor por sua iniciativa de disseminação do saber, és uma exemplo a ser seguindo.

  114. Simplesmente maravilhosa aula.Muito enriquecedora no assunto de inclusão.
    Obrigada por esta oportunidade.

  115. Estou no quinto período de pedagogia e pretendo fazer minha mamografia sobre Inclusão Social e após minha graduação,fazer minha pós graduação Inclusão Social pois pretendo trabalhar na área esse material é perfeito estou amando e fazendo novas descobertas.

  116. Professor trabalho com alunos portadores de várias deficiências dificuldade de aprendizagem. Recetemente recebemos duas alunas com deficiência mental , o que tem nos angustiado bastante, pois há uma divergência de entre o professor regente e as professoras cuidadoras e eu fico tentando intermediar. Se tiver algum material sobre deficiência, seria muito interessante ter um maior esclarecimento ou então me indique um autor. Adorei a primeira aula, talvez na próxima esse tema seja abordado e eu esteja muito afoita. Obrigada pela disponibilidade de compartilhar seu conhecimento. opinião

  117. Com certeza levarei comigo este aprendizado com muito amor.Muito obrigado por nos passar um grande ensinamento e experiencia da sua vida,tenho a absoluta certeza que ira me acompanhar por onde passar.

  118. Amei a primeira aula, aprendi muito. Ansiosa pela 2ª.
    Sou concludente do curso de Licenciatura em Educação Física e já comecei minha Pós-Graduação em Educação Inclusiva, com certeza aprenderei muito mais e estarei preparada para receber esses alunos com um amor que já sinto por este público.
    Parabéns professor Emílio pela iniciativa.

  119. Assisti a primeira aula e gostei muito!
    Ajudou-me a compreender como trabalhar com inclusão na minha escola.
    Obrigado professor!

  120. Primeira aula muito construtiva, !

    É bom ver a evolução da visão do deficiente e o avanço da educação inclusiva no Brasil, conteúdo muito interessante e enriquecedor!

  121. Muito interessante esta aula, concordo quando coloca que somente saberemos se o aluno de inclusão realmente estará incluso se professor, escola, família , enfim sociedade trabalhar em conjunto. Falta ao meu ver capacitação e aceitação de todos para que haja uma inclusão real. Mas devemos ter claro que exitem casos específicos que dificultam a inclusão de PNEES, e devemos garantir o direito dos mesmos terem uma educação de qualidade em ambientes adaptados para este tipo de atendimento.

  122. Excelente! Trabalho com Educação no hospitais do Paraná. O seu exemplo é fantástico Prof. Emílio, graças a Deus estamos evoluindo, lentamente a meu ver, mas a educação brasileira está dando seus primeiros passos. Há ainda muito a se fazer, pois a compreensão do conceito de educação inclusiva precisa estar impregnado nas escolas e ser compreendido por toda uma sociedade que deve se tornar inclusiva. A meu ver a sociedade brasileira ainda é muito excludente em vários aspectos e essa mudança de consciência só irá acontecer com um processo pleno de educação inclusiva.

  123. Muito construtiva essa primeira aula,a educação inclusiva atualmente já se faz muito presente no nosso cotidiano ,porém,muitas vezes ainda de forma disfocada visto que,as pessoas não sabem o verdadeiro sentido de inclusão,está presente em um ambiente não significa está presente neste.
    Espero anciosa a segunda aula.

  124. Grande exemplo de superação professor Emilio. Sou professora gaúcha atuono AEE, assim como supervisora da Educação Especial e bem sei o quanto todos nós precisamos estudar e estar estudando sobre a educação inclusiva. São os grandes desafios que nos fortalecem enquanto professora e sua pessoa é um grande exemplo sim de que a inclusão é algo verdadeiro, é algo que dá certo.Achei muito interessante a primeira aula deste curso. Aguardo a liberação das demais.

  125. Tema pertinente, pois a educação inclusiva esta abrangendo todas as escolas para e enquanto educadoras temos que estado preparada e habilitada para receber a todos.

  126. Parabéns professor! Sua fala sobre o acolhimento do professor foi impecável, compartilho dessa atitude para promover uma maior consciência profissional para quem escolheu ofício tão importante e especial.

  127. Boa noite Professor…
    Adorei a 1 aula… Conteúdo maravilhoso e esclarecedor…
    Com certeza esse Curso irá me ajudar muito… Trabalho no CAPS….
    Muito obrigada….

  128. E muito gratificante , perceber que a inclusão é importante na prática educativa dos educadores que trabalha com alunos com necessidades educacionais no âmbito escolar.
    E essa aula fez mostra como estamos longe de entender como a inclusão é necessária para uma instituição de ensino seja publica ou particular.

  129. Sou pós graduada em educação inclusiva, mais quero lhe dar os Parabéns professor por seu empenho e determinação em trazer informações e esclarecimentos que são de suma importante para minha aprendizagem dentro do meu campo de trabalho que cada dia busco mais conhecimento na educação inclusiva. trabalho que faco com muito amor.
    parabéns .

  130. Bom dia.
    Eu adorei ter conseguido me inscrever e adquirir mais conhecimento, eu trabalho nessa área e tive o prazer de assistir uma palestra do Emílio Figueira.
    Eu estou adorando.. a inclusão ela é importante porque é direito de todos, mas na area da educação ainda está muito despreparada para atuar, sei que vamos chegar la, mas temos que mostrar as pessoas que se incluem aos poucos e com muita paciência.

  131. Gostei muito da primeira aula
    Com certeza acredito que nossas escolas ainda estão pautadas na educação inclusiva meramente como adequar o espaço físico.A visao holística ainda está ausente dentro das equipes pedagogicasxe dos docentes.

  132. Aula pertinente, principalmente no que se trata sobre a diferença entre aprendizado e desenvolvimento em interagir potencialidade para aprender, principalmente no sentido de que o grau de normalidade de qualquer aluno depende de sua adaptação social e não encarar a deficíência como um obstáculo e sim como um desafio.

  133. Fiquei fascinado com o material, principalmente porque fala da Vygotsky,sou fã dele. E também porque falou do contrato de Salamanca.Parabéns “””

  134. Olá, faço graduação em pedagogia e sou auxiliar de alunos especiais. A aula que assisti foi enriquecedora, muito bom. Emilio dá dicas importantes para quem assisti pessoas com necessidades especiais. Valeu!

  135. Estou muito feliz por aprender sobre educação inclusiva, importante e fundamental.
    Muito obrigada por compartilhar seus conhecimentos, é muito gratificante!
    Deus te abençoe cada vez mais!
    Sucessos sempre!!

  136. Ola! professor Emílio ótima abordagem sobre educação inclusiva, foi muito proveitoso e enriquecedor para o meu aprendizado, estudo pedagogia e amo educação inclusiva. Poder ajudar outras pessoas é gratificante, saber que muitas crianças tem potencial, mas a ajuda e o acompanhamento da família é fundamental. Abraços!

  137. Que aula sensacional!!!!!Muito obrigada por se dedicar a inspirar e ensinar outras pessoas. A frase que você cita “A Educação Inclusiva é uma flor que nasce entre rochas”, simplesmente perfeita e realmente só e somente só o Amor pode transformar!!!Mais uma vez obrigada!!!

  138. Aula excelente! Conhecimento e sensibilidade são fundamentais para que o desenvolvimento da aprendizagem da pessoa com deficiência e sua inclusão escolar e social, de fato, se efetivem.

  139. Muito bom.
    quantas Informações riquíssimas e gratificantes ,com toda certeza ajudará a nós professores e alunos .Estou querendo fazer uma pós graduação e estava com dúvidas em que área fazer,mas, depois desse curso irei fazer minha pós graduação em ” Educação exclusiva.”
    Grata, Van santos ,Moita bonita /SE

  140. Muito Boa aula pena que a nossa realidade aqui no Rio Grande do Sul
    E em outras cidades é de escolas que recebem crianças para inclusão e não estão preparadas.

  141. Olha sinceramente eu estou IMPRESSIONADA, você é um exemplo a ser seguido por todos nós.
    Amei esta primeira aula e já estou a espera pelas outras aulas.

  142. amei assistir essa aula e emocionei muito assistindo o video!Realmente tudo acontece por conta do amor que temos com as inclusões e naquilo que acreditamos assim como o professor acreditou nele e venceu assim podemos ser, acreditar e fazer os nossos objetivos de vida dar certo também!

  143. amei essa aula to começando meu projeto para o tcc e cada vez que estudo mais fico apaixonada, quero cada vez mais mim aprofundo e aprende sobre oque e inclusão e como posso contribuir para ajuda

  144. olá boa tarde , professor
    sou academica do curso de fonoaudiologia do 7º periudo , e seus conceitos estar me ajudando no meu tcc que inclusive o tema é ‘A inclusão do autismo na escola regular e a atuação fonoaudiologica na escola regular de tempo integral de manaus- AM.

  145. Muito Bom!!!
    Parabéns pelo curso e por dividir conosco sua imensa experiência engrandecendo e enriquecendo nosso trabalho e conhecimento sobre a Educação Especial e a inclusão!

  146. Muito boa essa primeira aula, pretendo me espacializar nesta área. Também entendo que é fundamental o ensino aprendizagem de qualidade colocando-se em prática tudo o que aprendemos na teoria sobre a inclusão.

  147. Parabéns Professor! Adorei sua história de vida, grande superação, grande homem! Obrigada pela oportunidade de poder participar desse curso, a primeira aula foi excelente, aprendi muito e estou me interessando cada vez mais, muitas informações !

  148. Parabéns professor Emílio! Parabéns pela história de vida, grande superação! Grande homem! Obrigada pela oportunidade de participar desse curso! A primeira aula foi excelente, muitas informações, estou mais interessada.

  149. boa tarde professor

    gostaria de saber como faco pra mim adquirir o certificado pois nao to conseguindo mi ajude abracos

    Elivania melo

  150. Professor Emilio eu amei esta primeira aula agradeço a Deus pela sua vida e por dedicar o seu tempo para nos transmitir o conhecimento. Apartir de hoje o meu lema também é: ” O FEITO É MELHOR DO QUE O PERFEITO”
    Estou aguardando a proxima aula, foi muito aprazivel assistir seus videos e o material por escrito. Grande abraço de sua aluna Aline Ferreira- Alegrete-RS.

  151. Hoje, foi meu primeiro dia de aula no curso e estou maravilhada com as informações, são muito enriquecedoras. Assim, como a história de vida do professor Emílio. Agradeço pela oportunidade de está participando desse curso,

  152. Maravilhoso seu trabalho. Parabéns, que Deus continue te abençoando, para que continue transmitindo conhecimentos a tantas pessoas. Muito obrigado.

  153. eternamente agradecida por essa primeira aula, sou pedagoga formada e atuante, fiquei impressionada com a quantidade de conhecimento que eu ainda não tinha, tenho certeza que já não sou mais a mesma e que a minha visão quanto educadora e em especial como ser humano vai muito além. É preciso saber mais, eu quero saber mais. gratidão por tudo professor. um grande abraço

  154. Adorei a aula , pois faço pedagogia e me inscrevi para professor de apoio e necessito saber cada vez mais sobre esse assunto , me enriqueceu bastante . Quero saber quando vai ser a próxima aula .
    Tem certificado?É um ponto a mais no meu curriculo.
    Obrigado !

  155. Pela primeira vez iniciei um curso com o intuito de querer mais e mais. O material é excelente e a sequencia dos fatos nos ajudam entender melhor como era e como esta hoje o processo de inclusão de pessoas na sociedade. Adorei os videos e os textos sobre inclusão. Indicarei para os demais professores do AEE aqui de Oriximiná no oeste do Pará. Parabéns professor Emílio, seu trabalho me ajudou muito!!

  156. Em primeiro lugar, quero dizer ao professor Emílio que ele ganhou mais uma fã.
    Em segundo lugar, quero parabenizá-lo pelo belo exemplo de superação e gesto de humildade em disponibilizar gratuitamente seus conhecimentos para outros/as professores/as que necessitam desse tipo de conhecimento, pois, observo que há realmente uma grande carência de conhecimentos entre nós professores/as sobre a educação inclusiva, uma vez que, enquanto profissionais de educação estamos sempre nos deparando com alunos/as que têm algum tipo de necessidade especial, e inicialmente temos a mesma sensação, que não sabemos lidar com a situação. Por essa razão confesso que estou imensamente feliz por está participando deste curso, pois sei que por meio deste estarei conquistando maior condição profissional para ajudar meus alunos/as a evoluírem no processo de ensino e aprendizagem.

  157. Gostei muito da primeira , essa questão hist´roca é muito interessante e importante para conhecermos a evolução de tudo.

  158. Ótima iniciativa!!!!!!!
    Já tive aulas em curso de braille com uma professora cega; aulas de libras com professora surda, mas nunca tive essa oportunidade. Ter uma aula com um professor com DF. Isso sim é uma aula de verdade!!!
    Superação, autonomia, autoconfiança e aprendizado.
    Estou adorando essa experiência.

  159. Olá Professor Emílio Figueiras, prazer em conhecê-lo, participei da primeira aula sobre inclusão escolar , adorei, muito rico esse conhecimento, me ajudará a desenvolver melhor meu trabalho, acho esse assunto se suma importância para nós educadores, pois temos a necessidade de conhecer para contribuir na inclusão desses alunos na escola de ensino regular, Parabéns !!!!

  160. Bom dia!
    Gostei da primeira aula, pois resume de maneira simples e inteligente a “História da Pessoa com deficiência no BR”.
    É duro aceitar que “nenhum professor está preparado para trabalhar com a Inclusão Escolar até o momento que chega a sua turma um aluno a ser incluído.” Porém, é confortante saber que não estamos sozinhos, que “Ninguém em nenhuma situação está preparado para resolver algo que nunca vivenciou(…)”
    Estou ansiosa pelas próximas aulas.

  161. Estou muito feliz com essa primeira aula, que para mim foi muito gratificante. Sou professora e atendo em minha classe alunos com variados tipos de deficiencia, e o que me motiva a buscar sempre mais e sabe que tudo que sei e ainda muito pouco diante de tantos pedidos de socorro em cada aluno que trabalho, sei que o que me move e o amor. Grata sou a Deus professor Emillio por sua existencia, sua ajuda a todos os que desejam ser luz nesse mundo tao discriminatorio, escludente. Estou encantada e pretendo continuar bebendo de sua fonte de sabedoria. Obrigada.

  162. Olá professor Emillio, primeiro gostaria de lhe parabenizar pela garra e determinação. Amei sua aula! fico super contente em poder contar com sua contribuição no desenvolvimento de meu trabalho.
    Gratidão!

  163. Boa Noite!!! Parabéns pelo trabalho lindo, pela força e determinação, e principalmente levar a sua história a diante para muitos perceberem a diferença da inclusão de 20,30 anos atrás e agora como está, como mudou,
    Estou fazendo pós graduação de educação especial e através dos seus vídeos pude ter mais certeza que estou no caminho certo. muito obrigado.

  164. Muito esclarecedoras essas primeiras considerações sobre a inclusão. Há muitas dúvidas e dificuldades por parte dos professores do ensino regular, que têm como meta vencer o currículo anual, e, muitas vezes, tentam trazer todos os alunos no mesmo patamar.

  165. OLÁ! Professor, o senhor é um gênio para a humanidade aqui neste mundo, sua história de vida, é linda. Preciso de horas para atividades complementar do curso de pedagogia que estou fazendo e escolhi seu site para estudar, uma colega me apresentou. Estou amando. Obrigado.

  166. Muito construtiva e enriquecedora nos dias de hoje para entendermos mais sobre a Inclusão Social Educacional. Parabéns.

  167. Excelente a aula, de forma sucinta abordou todo o conteúdo. parabenizo a todos que estão envolvidos nesse projeto, permitindo o conhecimento sem custo a todos aqueles que se interessarem.

  168. Material enriquecedor!!!
    Tocante, impactante… De fato precisamos está dispostos a contribuir para que estas flores nasçam entre as rochas.

  169. Olá Professor Emílio!
    O seu trabalho com a Educação Inclusiva é excelente e bem conceituado! É importante e esclarecedor para o público em geral, e principalmente para os professores em saber lidar com essa nova realidade que vem surgindo nas escolas. Abraços!

  170. Muito boa a primeira aula! Parabéns professor Emílio, a riqueza contida neste primeiro contato com a educação inclusiva está sendo surpreendente! É um assunto de extrema importância na construção pedagógica de um professor!
    Infelizmente, a abordagem acerca deste tema ainda é limitada dentro de Universidades. O pouco que sei além do que aprendi na sala de aula veio através da experiência de uma colega!
    Aguardo a segunda aula!

  171. Excelente esta ideia de partilhar abertamente teus conhecimentos, estudos e entrevistas. Sou professora alfabetizadora e me considero inclusiva, desde o momento inicial que identifico a diferença, já automaticamente começo a trabalhar e considerar todos os meus alunos capazes de aprender , mesmo que cada um possua tempos de aprendizagens diferentes de outros. Fico triste porque existem profissionais que deixam a desejar nesta tarefa de incluir; as crianças não escolheram ter dificuldades físicas ou mentais, cabe a nós professores nos preparar-nos para mediar essa evolução em cada um deles . com acolhimento , conhecimento e muita disponibilidades.
    Aquele profissional que não se dedicar e se aperfeiçoar cognitivamente, não terá espaço na escola dos próximos anos, pois são muitas as deficiências e síndromes que estão surgindo. Obrigado pela oportunidade !!!!

  172. Boa noite!
    Professor Emílio,obrigada por esta oportunidade de estar fazendo este curso. A primeira aula foi super enriquecedora .Aprender sobre as primeiras inclusões, me ajudaram a entender sobre Os navios negreiros/ o transporte de escravos, pois nos livros de História só valorizavam as Leis abolicionistas.E a inclusão,já estava sendo feita.(Velada);o vídeo ( 1ª palestra online,assisti duas vezes e fiz minhas anotações.Sábias palavras e orientações.( Pretendo assistir mais vezes). Valeu e parabéns!!!

  173. Boa noite!
    Professor Emílio,
    Obrigada por está oportunidade enriquecedora de estar fazendo este curso.Amei a primeira aula e o vídeo ( 1ª Palestra online/Fiz minhas anotações).Foi muito bom aprender toda a história sob inclusão deste os índios a té os dias atuais.Quando ouvi sobre os navios Negreiros ,não me atentava para a exclusão que está sendo feita;pois nos livros de História,só valorizavam as Leis Abolicionistas.Momentos enriquecedores!!!

  174. Boa noite professor Emílio…é uma grande satisfação estar fazendo este curso para que eu possa me aprimorar e saber com lidar com algumas situações que nos pegam de surpresa com a inclusão. Acredito que só irar acrescentar para a minha vida profissional.

  175. Boa noite Professor Emílio!
    São fascinantes seus esforços, sua vida e sua perseverança. Uma lição plena de vida e compromisso na luta pelo outro e para o outro.
    Achei maravilhoso seu ponto de vista sobre a Educação Inclusiva ser uma flor que nasce entre rochas. E que como qualquer outra flor, precisa ser alimentada … simplesmente lindo.
    Agradeço muito a oportunidade de estar fazendo seu curso e aguardo as outras aulas ansiosamente.
    Abraço, Rosemeri.

  176. Material rico em detalhes históricos, e experiência pessoal.
    Todo docente deveria fazer esse curso.
    Muito obrigada pela oportunidade, Professor Emílio

  177. Primeiramente gostaria de parabenizar pela iniciativa de promover de forma ativa conceitos sobre a Educação Inclusiva, onde de forma concreta vem nos mostrar o quanto somos capazes de realizar inúmeras coisas, mesmo em meio as dificuldades, pois as possibilidades estão ai prontas a serem exploradas.
    Também nos faz um alerta e um chamamento a responsabilidade de agirmos como profissionais educacionais comprometidos com uma educação de qualidade na oferta de um ensino inclusivo.
    Simplesmente amando e tão logo partirei para a próxima aula.

  178. Excelente material, com uma linguagem simples, de fácil compreensão e bem explicativo. Esse contexto histórico, a trajetória é de suma importância para todos nós, pois atesta que embora precise que tenha um olhar mais ativo para a educação inclusiva, já houve grandes avanços.
    E essa iniciativa de promover um curso desse já é evidência disso. Parabéns. É uma satisfação participar dessa oportunidade de construção do saber.

  179. Prezado Professor Emílio
    Temos, no presente curso, além da construção de conhecimentos sobre a educação inclusiva, um magnífico exemplo de vida e de superação. Parabéns!

  180. adorei a primeira aula, estou no primeiro semestre da faculdade de pedagogia espero ter mais conhecimentos com suas aulas.o assunto e bem interesante.

  181. Bom dia!
    Muito bom a aula!
    A inclusão ainda assusta alguns professores de áreas especificas não querem aceitar que essa criança esteja incluída na sala reguçar de ensino.

  182. Bom dia!
    Muito bom a aula!
    A inclusão ainda assusta alguns professores de áreas especificas não querem aceitar que essa criança esteja incluída na sala reguçar de ensino.

  183. Olá Emílio!
    Adorei a primeira aula, sou professora de escola pública, e convivo diariamente com alunos com necessidades educacionais especiais, e tenho muita dificuldade de trabalhar com eles, por isso, estou sempre buscando novos conhecimento para pode ajudá-los.
    Eu também sou deficiente, tenho poliomielite e faço uso de uma órtese na perna direita.
    Um grande abraço!

  184. Bom dia, muito interessante essa parte histórica sobre a temática, pois nos possibilita ter uma visualização de como estava sendo entendida a educação especial, como estamos e que ainda precisa ser feito para os sujeitos com algum tipo de deficiência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *